Vamos falar de liturgia.

 

Somos anunciantes da boa nova, mas precisamos saber preparar esses momentos, hoje iremos apresentar algumas dicas de como preparar o comentário e preces.

 

COMENTÁRIO INTRODUTÓRIO

 

Sabemos que não existe uma formula, mas quando nos propomos a falar de Deus devemos em primeiro lugar lembrar as palavras de Santo Agostinho: “Ser orante antes de ser orador. Falar com Deus, mais do que falar de Deus. Teu desejo é a tua oração; se o desejo é contínuo, também a oração é contínua. A nossa oração e a nossa intimidade com a Palavra de Deus é que vão permitir um bom comentário.

 

Antes de começar a escrever suas reflexões faça primeiro uma oração de entrega, em seguida leia o texto sagrado calmamente como se tivesse fazendo uma oração, interiorize separadamente cada versículo, reflita-o sempre direcionando o pensamento para o tema que deseja abordar, vá anotando tudo o que lhe vier ao pensamento sem se preocupar em dar sentido ao que está escrevendo, ao terminar releia suas anotações e fazendo um resumo elabore um texto único.

 

O comentário na verdade nada mais é que um resumo da leitura em poucas palavras. A melhor formação ainda é a leitura exaustiva da Sagrada Escritura, ler a leitura que vai ser proclamada várias vezes também ajuda ao leitor a ter uma boa postura na hora da Missa.

 

No inicio você sentirá dificuldades, mas asseguro que com o passar do tempo, com o seu contato diário com a Palavra de Deus e a sua abertura ao Espirito Santo através da oração, não terá problema para escrever. Segundo a regra de João Paulo II: O homem que não conhece Jesus Cristo, permanece para si mesmo um desconhecido.

 

Existe o jornal “O Domingo” da editora Paulus, e o “Subsídio Dominical” que temos na capela, uma ajudinha extra sempre é bem-vinda, por isso não custa nada buscar conhecimento.

 

 

ORAÇÃO DA ASSEMBLÉIA

 

Como tudo na Liturgia católica, também a Oração dos Fiéis deve buscar iluminação na PALAVRA DE DEUS, especialmente aquela que é anunciada no rito celebrativo. É ela a fonte inspiradora de oração. Por isso, quem prepara as preces deve – como qualquer outro (a) ministro (a) que atuará na celebração da Missa – LER, ESTUDAR, REFLETIR E REZAR os textos bíblicos do dia, especialmente o Evangelho. A partir daí fazer uma bela ligação entre a Palavra e a vida, tendo sempre em vista as necessidades mais prementes do Povo de Deus e de toda a humanidade, sem esquecer os problemas enfrentados pelo Brasil, Paraná, Maringá e nossa região. Normalmente serão estas as séries de intenções:

 

  1. a) Pelas necessidades da Igreja;
  2. b) Pelos poderes públicos e pela salvação de todo mundo;
  3. c) Pelos que sofrem qualquer dificuldade;
  4. d) Pela comunidade local.

Fernanda de Almeida

Vamos falar de liturgia.

 

Somos anunciantes da boa nova, mas precisamos saber preparar esses momentos, hoje iremos apresentar algumas dicas de como preparar o comentário e preces.

 

COMENTÁRIO INTRODUTÓRIO

 

Sabemos que não existe uma formula, mas quando nos propomos a falar de Deus devemos em primeiro lugar lembrar as palavras de Santo Agostinho: “Ser orante antes de ser orador. Falar com Deus, mais do que falar de Deus. Teu desejo é a tua oração; se o desejo é contínuo, também a oração é contínua. A nossa oração e a nossa intimidade com a Palavra de Deus é que vão permitir um bom comentário.

 

Antes de começar a escrever suas reflexões faça primeiro uma oração de entrega, em seguida leia o texto sagrado calmamente como se tivesse fazendo uma oração, interiorize separadamente cada versículo, reflita-o sempre direcionando o pensamento para o tema que deseja abordar, vá anotando tudo o que lhe vier ao pensamento sem se preocupar em dar sentido ao que está escrevendo, ao terminar releia suas anotações e fazendo um resumo elabore um texto único.

 

O comentário na verdade nada mais é que um resumo da leitura em poucas palavras. A melhor formação ainda é a leitura exaustiva da Sagrada Escritura, ler a leitura que vai ser proclamada várias vezes também ajuda ao leitor a ter uma boa postura na hora da Missa.

 

No inicio você sentirá dificuldades, mas asseguro que com o passar do tempo, com o seu contato diário com a Palavra de Deus e a sua abertura ao Espirito Santo através da oração, não terá problema para escrever. Segundo a regra de João Paulo II: O homem que não conhece Jesus Cristo, permanece para si mesmo um desconhecido.

 

Existe o jornal “O Domingo” da editora Paulus, e o “Subsídio Dominical” que temos na capela, uma ajudinha extra sempre é bem-vinda, por isso não custa nada buscar conhecimento.

 

 

ORAÇÃO DA ASSEMBLÉIA

 

Como tudo na Liturgia católica, também a Oração dos Fiéis deve buscar iluminação na PALAVRA DE DEUS, especialmente aquela que é anunciada no rito celebrativo. É ela a fonte inspiradora de oração. Por isso, quem prepara as preces deve – como qualquer outro (a) ministro (a) que atuará na celebração da Missa – LER, ESTUDAR, REFLETIR E REZAR os textos bíblicos do dia, especialmente o Evangelho. A partir daí fazer uma bela ligação entre a Palavra e a vida, tendo sempre em vista as necessidades mais prementes do Povo de Deus e de toda a humanidade, sem esquecer os problemas enfrentados pelo Brasil, Paraná, Maringá e nossa região. Normalmente serão estas as séries de intenções:

 

  1. a) Pelas necessidades da Igreja;
  2. b) Pelos poderes públicos e pela salvação de todo mundo;
  3. c) Pelos que sofrem qualquer dificuldade;
  4. d) Pela comunidade local.

Fernanda de Almeida